BLOG

Conteúdo para seu desenvolvimento

 

Super Homem e a Kriptonita

Assunto:

08/12/2012
Comentários: 5

Uma comparação entre os poderes do homem de aço e os simples mortais, trabalhadores.

 


Lembrei-me de um filme (muito) antigo, muito conhecido de pessoas da minha geração,Superman 2.
Nesta sequência do herói "americano" que tem superpoderes, visão de Raio X, força descomunal, voa e consegue trocar de roupas mais rápido que o The Flash, o personagem Clark Kent resolve se despir de seus poderes para viver uma vida como humano, homem, agora então casado com a charmosa Lois Lane.

Não quero focar nos motivos que o levaram a fazer tal coisa, a negar sua própria identidade, mas fica algo muito intrigante e que podemos comparar com diversas fases ou situações de nossas carreiras e emprego.

- Integridade Física
Saúde, bem-estar, qualidade de vida, condicionamento físico, tudo isso tem relação direta com uma vida saudável, sem dor, equilibrada. Colocando lenha na fogueira, imagine que você está passeando e acontece um acidente, um imprevisto, uma perna quebrada, um ligamento do joelho rompido, qualquer coisa do gênero, algo inesperado, o que fazer? Para onde ir? Posto 24 horas? SUS? Fila? Tempo? Mal atendimento, maus tratos, desespero? O que faz você perder os superpoderes de uma saúde íntegra?

- Segurança no Emprego
Tudo anda bem, a mil maravilhas, salário pingando na conta no final do mês, contas sendo pagas, viagens, lazer, chop com os amigos e a vida vai indo, rotina após rotina, tudo previsível. 5 anos, 7 anos, 10 anos na empresa, velho da casa, experiência, confiaça, e acima de tudo segurança, para você, para sua família. Mas... já pensou em como está sendo lento o crescimento na carreira? Quão árduo foram os últimos 12 anos sem aumento salarial real? Como são as conversas com o chefe sobre mudança? Expectativas sendo apagadas, sonhos desfeitos. Poder aquisitivo cada vez menor. Economia à beira de uma crise, inflação real muito além de qualquer previsão (incrível) de economistas e governistas. Difícil mudar o status quo.

- Benefícios
Você está bem empregado, trabalha de segunda a sexta, tem plano de saúde, família em paz, todos bem, e a vida anda que é uma beleza, tudo sossegado, tudo susse... na boa. Vale mercado, vale creche, vale refeição, vale "melhor empregado do mês", etc. Benefícios que ajudam o salário a durar até o final do mês, quem sabe até uma poupancinha. PLR invejável. Já imaginou? Ficar sem o Cartão de Crédito? Perder o vale alimentação? Depender do INSS para sobreviver? Cair da zona de conforto? - Cair mesmo, por que sair é algo voluntário, agora cair é algo repentino, inesperado.

- MBA e Estudos
Terminou a faculdade, estágio, boas perspectivas de virar gerente logo, assumir cargos de confiança, aprendendo cada vez mais, desenvolvendo a carreira e alcançando vôos nunca antes imaginados. Portas se abrindo, Headhunters entrando em contato pelo linkedin, habilidades sendo lapidadas, talentos sendo realmente utilizados e reconhecidos. Já imaginou o contrário? Sem estudos, tendo que competir com uma massa enorme de pessoas que precisam de emprego, a qualquer custo, quer dizer, a qualquer salário, com poucos diferenciais, trabalhos braçais, repetitivos, sem finais de semana, sem tempo para a família, turnos e returnos, etc.

- Networking
Happy Hour, vários amigos, facebook lotado de contatos, tudo às mil maravilhas! Linked In bombando de propostas, a coisa realmente funcionando, seu currículo nas mãos dos melhores, indicações de emprego realmente boas e atrativas, só bastando escolher a melhor, o salário mais gordo, os benefícios mais poupudos, e por aí adiante. E se a realidade fosse outra? Ouvir o barulho dos grilos, o bater infindável das asas de uma mosca, o som do silêncio. E se tudo fosse diferente? Você superqualificado e sem emprego? Sem chances? Sem perspectivas? Falando 3 idiomas e nada de aparecer uma vaguinha de emprego para garantir o sustento da família, a sobrevivência.


A lista continua, vai longe, são dezenas de opções que se tem ao se pensar em carreira, trabalho e emprego. Mas a reflexão que quero deixar é esta:

Até que ponto o seu emprego, com seus benefícios tangíveis e intangíveis, até que ponto esta autonomia, esta situação faz com que você seja um superhomem, uma pessoa com superpoderes, livre das desgraças que assolam os desempregados, os pobres, os miseráveis, até quando essa pseudo-segurança lhe faz escravo do sistema, restringe sua liberdade, estabelece os padrões de vida e os limites da sua criatividade? Até que ponto seu status quo é realmente um superpoder, um atributo que lhe faz voar, enxergar além dos demais, lhe dá forças para realizar sonhos e conquistar o mundo, ajudar pessoas, ser completo?

Será que aquilo que lhe faz, aparentemente, parecer forte, perante a sociedade, seus amigos e sua família, será que é realmente poder ou é uma kripnonita? Uma pedra, em seu caminho, que lhe tira as forças para lutar por seus sonhos, lhe tira a vontade de trilhar novos caminhos, novos rumos?

O medo de tentar algo novo, de buscar algo melhor, de arriscar mais acaba cerceando o tempo, adiando possibilidades, postergando realizações e projetos que poderiam lhe fazer muito mais feliz e completo.

A impotência que temos quando expostos a estes impecilhos, estas kriptonitas acabam com o potencial e o dinamismo de muitas pessoas. A relatividade de uma vida confortável e segura se comprova na quantidade de sonhos diminuídos e não realizados. O que aparentemente lhe dá forças está tirando seu poder de decidir sobre seu próprio destino.


Muitas empresas oferecem benefícios e atrativos que na verdade são correntes que lhe prendem e lhe impedem de brilhar. Kriptonitas disfarçadas de poderes que dizimam seus talentos. Uma vez que o super homem passa a ser um mero humano, ele já não sofre a influência da famosa pedra, porém fica suscetível aos males que assolam os mortais.

Vamos pensar no que estamos fazendo e em nossa realidade. A luta é enorme, mas é possível reverter o quadro, conhecer a realidade é o primeiro passo rumo à mudança.

E aí? Como é a sua experiência? Você se sente um superhomem? Participe com sua opinião em nossos comentários abaixo, vamos discutir e compartilhar os pensamentos.


Tags:

benefícios, kriptonita, networking, realidade, status quo, superman




COMENTÁRIOS

Veja o que falam sobre isso

Super Homem e a Kriptonitaup

14 julho 2013
27 maio 2013

Andre Roch

Parabéns excelente texto motivacional.

Andre Roch

19 fevereiro 2013

Gabriel Teixeira

Muito bom! eu me senti no lugar do Superman, quando ele deixa a Kriptonita, aceitando ate mesmo um salario menor para se sentir melhor e buscar sonhos maiores!

Gabriel Teixeira


« primeira   « página anterior | próxima página»   última»

Deixe aqui seu comentário!



Artigos do Blog

27 outubro 2017
12 julho 2017
03 julho 2017
28 junho 2017
24 junho 2017
22 junho 2017

Home Office - Assistente Virtual

Economia criativa está aquecida: trabalho autônomo já gera renda para mais de 22 milhões de brasileiros, diz pesquisa. O tele-trabalho aos poucos vai ganhando espaço e veio para ficar!

ler mais